Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/1121
Título: Saúde percebida e "passagem à reforma"
Autor: Fonseca, António M.
Paúl, Maria Constança
Palavras-chave: Adaptação
Passagem à reforma
Saúde
Adaptation
Health
Retirement transition
Data: 2004
Editora: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde
Citação: Psicologia, Saúde & Doenças, 5 (1),17-29
Resumo: A “passagem à reforma” é um processo complexo por meio do qual os indivíduos abandonam a vida profissional. Uma das formas possíveis de abordar a complexidade deste acontecimento é tomá-lo como uma transição de vida envolvendo mudança e adaptação e susceptível de produzir stresse. Na procura de uma compreensão mais apurada do impacto da “passagem à reforma” na saúde percebida dos indivíduos que se reformam, realizámos um estudo comparativo entre 50 indivíduos reformados e 50 indivíduos não reformados – em ambos os casos, 25 homens e 25 mulheres –, vivendo nas suas residências no norte e centro de Portugal. Os indivíduos reformados encontravam-se nessa situação há pouco tempo (menos de um ano) e os indivíduos não reformados eram trabalhadores a tempo inteiro. O instrumento usado para avaliação foi uma versão do “Questionário de Auto-Avaliação da Saúde e do Bem-Estar Físico”, retirado do “Protocolo Europeu de Avaliação do Envelhecimento”. Os resultados mostram não haver diferenças relevantes entre indivíduos reformados e não reformados acerca da percepção que têm da respectiva saúde. No entanto, os indivíduos reformados queixam-se mais acerca da saúde nos meses seguintes à “passagem à reforma”, enquanto as queixas dos indivíduos não reformados remontam a um período de tempo mais longo. ------ ABSTRACT ------ Abstract-Retirement is a complex process by which individuals withdraw from full-time participation in a job. We can approach the complexity of the retirement process taking it as a life transition involving change and adaptation that may produce stress. In search for a better understanding of retirement transition impact in perceived health, a comparative study was made between 50 retired persons and 50 non-retired persons – in both cases, 25 men and 25 women – residing in their home in the north and centre of Portugal. The retired individuals were recently retired (less than one year) and the non-retired individuals were full-time workers. The instrument used for evaluation was a version of the “Self-Reported Health Questionnaire”, taken from “The European Survey on Aging Protocol” (ESAP). The results show that there are no relevant differences between retired and non-retired concerning self-reported health. However, retired individuals complain more about health in the months after retirement (coincident with the new retirement condition), while full-time workers complain about health over a long period.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/1121
ISSN: 1645-0086
Aparece nas colecções:PSAU - Artigos em revistas nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
PSD 2004 5(1) 17-29.pdf51,17 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.