Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/1022
Título: Consumo de substâncias psicoactivas em empresas do distrito de Lisboa
Autor: Vitória, Paulo Duarte
Orientador: Pereira, Orlindo Gouveia
Data de Defesa: 1994
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: A Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que 70% das pessoas com problemas de consumo de álcool e 62% das pessoas com problemas de consumo de drogas ilegais estão enquadradas profissionalmente (OIT/OMS, 1988). Os dados disponíveis sobre a situação em Portugal sugerem uma realidade próxima das estimativas da OIT. Face a esta realidade, como estão a reagir as empresas portuguesas? Existe a percepção desta situação e da sua gravidade? As empresas estão preocupadas? Quais os problemas de trabalho cuja ocorrência é associada ao consumo de substâncias? As empresas têm realizado acções para prevenir os problemas provocados por esta situação? Procurando respostas para estas questões, foi elaborado um inquérito, baseado em estudos prévios realizados no âmbito da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e da União Europeia. Colaboraram 437 empresas do Distrito de Lisboa com mais de 50 trabalhadores, respondendo a um questionário que ofereceu as seguintes indicações: - Relativamente ao consumo de álcool, a tendência principal das respostas é para considerar que o problema existe na empresa, mas sem gravidade. Cerca de 16% das respostas admitem que o problema existe com gravidade. No caso do consumo das drogas ilegais, a tendência principal das respostas é para considerar que o problema não existe na empresa. Cerca de 12% das respostas admitem que o problema existe com gravidade. - As empresas assumem que, nos últimos três anos, ocorreram nas empresas diversos problemas de trabalho associados ao consumo de substâncias pelos trabalhadores e a maioria admite a sua preocupação com a situação. Algumas empresas já realizaram acções de prevenção neste domínio. Nesta base, verifica-se que nas empresas existe consciência da gravidade da situação e algum interesse em desenvolver acções de prevenção. É importante criar estruturas e processos com o objectivo de incentivar este interesse e concretizar as potencialidades das empresas como meio privilegiado para prevenir os problemas de consumo de substâncias psicoactivas.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Comportamento Organizacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/1022
Aparece nas colecções:PORG - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM VITO1.pdf7,14 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.