Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/1005
Título: Contextos promotores da aquisição da linguagem escrita em jardim-de-infância: Um estudo de caso
Autor: Vala, Adelaide Roquete
Palavras-chave: Linguagem
Aprendizagem
Escrita
Creche
Educação pré-escolar
Linguagem escrita
Language
Learning
Writing
Nursery
Preschool education
Writing language
Data de Defesa: 2008
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: Neste estudo, partimos do pressuposto que a educação pré-escolar poderá ser um factor decisivo e preponderante para a aquisição da linguagem escrita em crianças destas idades. Promover contextos diversificados e ricos em experiências significativas conduz a reflexões e aprendizagens sobre a linguagem escrita, onde o educador de infância e a sua prática pedagógica têm um papel preponderante. Trata-se de um estudo qualitativo onde nos propúnhamos reflectir sobre os conhecimentos que as crianças de idade pré-escolar constroem em relação à linguagem escrita e também, perceber de que forma o fazem em interacção com os seus pares e com o adulto, em contexto real de sala de aula. Tínhamos como objectivos gerais clarificar e aprofundar o conhecimento dos processos de aquisição da linguagem escrita e a sua apropriação, em crianças de idade pré-escolar, em contexto interactivo e num espaço educativo que propicie estas práticas, com base num currículo orientado para a aprendizagem da linguagem escrita. A análise do estudo foi qualitativa e procurou analisar as etapas de desenvolvimento das concepções sobre a linguagem escrita e os tipos de interacção estabelecidos por três crianças, com outros intervenientes e as consequências dessas interacções na sua aprendizagem. Realizámos um pré-teste inicial e um pós-teste final e observações das crianças, realizadas entre os pós-testes, em cinco meses diferentes. As situações pedagógicas, tendo como base teórica uma perspectiva sócioconstrutivista, foram desenvolvidas de modo a utilizarem a linguagem escrita, em situações significativas e funcionais, nas rotinas que decorreram em sala de aula. Pretendia-se que as crianças utilizassem a linguagem escrita e reflectissem sobre os seus aspectos figurativos, conceptuais e funcionais. A linguagem escrita foi utilizada de uma forma funcional, na sua vertente comunicativa, de forma útil e real. As situações de escrita observadas foram em situação de pequenos grupos, a pares, com a educadora e sozinha. Os resultados mostraram que as crianças, não só desenvolveram e enriqueceram os seus conhecimentos sobre a linguagem escrita, como nos parece haver uma relação entre as práticas interactivas de trabalho e a aquisição destas competências. Deste estudo, advêm diversas conclusões e implicações pedagógicas, das quais destacamos: a importância do diálogo, da reflexão e da troca de ideias entre as crianças; a importância dos grupos heterogéneos e do seu papel preponderante nas interacções entre as crianças; a importância do papel do educador e da forma como este actua, dialoga, apoia e conhece as crianças, o que lhe permite actuar adequadamente e reflectir sobre a sua prática; a importância da organização de um espaço educativo rico e da existência de actividades de escrita que sejam desenvolvidas de forma sistemática, funcional, interessantes e desafiadoras, e da importância destas terem como ponto de partida os interesses, saberes, problemas e dificuldades sentidas pelas crianças.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/1005
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM VALA1.pdf25,04 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.